“Ei!”, como é que se emigra à maneira?

Crónica André 2

A emigração está tão “na moda” que hoje em dia já se encontram empresas dedicadas a tornar a vida dos emigrantes (e até dos imigrantes) mais simples. É a chamada emigração de primeira classe, a que vai atrás da cortina nos aviões.

Em Lisboa abriu a primeira loja de assessoria aos emigrantes, imigrantes e viajantes. Esta empresa foi criada por duas juristas que sentiram na pele as complicações da emigração e se juntaram para tornar a experiência um pouco menos penosa aos outros.

“Ei!” é o nome da loja e os serviços mais solicitados são a gestão de arrendamento, a obtenção de vistos, a receção e envio de correio e a procura de alojamento. Mas também há quem peça ajuda para transportar animais ou para comprar bilhetes para concertos, festivais, ou para “jogos do Benfica”, disse Gilda Pereira, uma das fundadoras da empresa ao Observador.

A emergência deste serviço é provocada pela maré de jovens empenhados em deixar Portugal para trás e procurar oportunidades no estrangeiro. Muitos deles, jovens. Muitos deles, sem experiência no que toca a morar no estrangeiro.

Este tipo de oferta só está disponível para a primeira classe dos que precisem (ou, neste caso, queiram) emigrar, porque muitas vezes o facto de abandonar o país é apenas uma necessidade e, nesse caso, provavelmente não haverá possibilidade de contar com estes serviços.

Ainda assim, bem hajam iniciativas deste tipo que tenham por missão ajudar quem mais precisa nestes assuntos logísticos de uma saída prolongada do país.

Comentários

Author: André Vinagre

Share This Post On