Como o Inov Contacto mudou a vida de Marta Matos – C16 edição 2011/2012


A Marta Matos tem 26 anos e é original de Coimbra. Tirou o Mestrado em Gestão na Universidade de Coimbra, que terminou em 2011, e fez Erasmus em Varsóvia, Polónia, em 2010. Depois disso, através do programa Inov Contacto, viveu na Cidade do México e trabalhou no escritório da AICEP (na Embaixada de Portugal) durante 6 meses.
Atualmente está a viver em Lisboa, com o namorado Miguel que conheceu através do programa no México, e a explorar a área do marketing e gestão de produto.

Qual o fator que te motivou a candidatar ao programa INOVContato?

A vontade de conhecer um novo país, uma nova cultura, novas pessoas e ter um novo desafio. Depois de ter feito Erasmus, ficou sempre “o bixinho” de conhecer o mundo, que continua mesmo depois de Inov!

Para que país querias ir? Qual o que efetivamente foste?

Não tinha preferência, apenas queria ir para longe de Portugal…e consegui! Fui parar ao México (Cidade do México). Também não queria um país de clima frio, porque tinha vivido na Polónia, em Erasmus, o que também se veio a concretizar!

Quais os maiores problemas que tiveste na adaptação?

Comida mexicanaEssencialmente ao nível da falta de segurança na cidade, e consequente sentimento de insegurança permanente. Também tive dificuldades na adaptação ao trânsito e quantidade de pessoas nos transportes públicos – só a Cidade do México tem o dobro dos habitantes de Portugal! Estes fatores, entre outros, tornavam o dia-a-dia algo “pesado”. A poluição, que muita gente associa à cidade, na verdade não me afetou muito, e creio não ser assim muito visível. Tem mais influência o facto da Cidade do México se localizar num planalto a cerca de 2000 metros de altitude!

Como é o custo de vida no México? Por exemplo, casas e transportes?

Na Cidade do México o custo de vida não é muito diferente de Portugal (em média), se pretendermos manter um nível de vida médio-alto. Os transportes são bastante mais baratos, mas as casas mais caras. A comida nos super mercados é acessível, mas os restaurantes são caros. Nota-se uma grande diferença entre ricos e pobres, e entre estilos de vida na cidade.

Quais as principais diferenças entre o mercado laboral mexicano e o português, por exemplo?

Índios mexicanosAs diferenças não são assim muitas, por estranho que possa parecer. O México tem um influência muito grande dos Estados Unidos, e mesmo da Europa, pelo que as grandes multinacionais estão todas presentes no país, e há muitas empresas mexicanas de grande dimensão também. Para além disso, existem bastantes estrangeiros em todos os tipos de cargos, nas empresas. Os mexicanos, a nível profissional, são bastante flexíveis e compreensivos, e valorizam muito o contacto pessoal. Valorizam também a sua liberdade pessoal e os seus tempos de pausa. Algo que o mercado laboral mexicano e o português têm em comum é o facto de existirem muitas micro e pequenas empresas (salvaguardando as devidas proporções, claro).

Que impacto teve a tua vida profissional depois do INOV Contato?

O Inov Contacto teve impacto, essencialmente, pela dimensão internacional que deu à minha experiência profissional e ao meu currículo, que é muitas vezes um fator diferenciador e valorizado. O facto de ter trabalhado no escritório da AICEP foi muito interessante e gostei imenso, mas não deu possibilidades de um futuro profissional na mesma organização. Para além disso, não pretendia continuar a viver no México. Sendo assim, regressei a Portugal, mais especificamente a Lisboa, que tem um mercado de trabalho muito mais dinâmico que o resto do país.

Como é que a tua vida mudou?

Tulum 2

A minha vida mudou essencialmente a nível pessoal. Foi na Cidade do México que conheci o Miguel, que também foi para lá através do Inov, e se tornou o meu namorado, companheiro de aventuras e de vida. Atualmente vivemos em Lisboa, mas quem sabe não existirá mais uma aventura profissional no estrangeiro no nosso futuro!

Conta um episódio marcante.

O episódio mais marcante que tive na Cidade do México foi logo na primeira semana, em que fui assaltada, à noite, no centro histórico da cidade. Ia com outros dois colegas de Inov, e atacaram-nos com uma tesoura (!), mas felizmente não aconteceu nada de grave, acabei por ficar apenas sem o meu smartphone!

 

480222_451056954920014_361537074_n

A equipa do Icote agradece o testemunho de Marta Matos e a sua disponibilidade em partilhar um pouco da sua vida e experiência profissional. Mais do que uma experiência profissional o amor surgiu e sorriu com o Inov Contacto e só podemos desejar que tudo corra bem!

Comentários

Share This Post On